Weather

Sacramento, MG

°C

Prefeitura não repassa verba e universitários não saem de Sacramento

Prefeitura atrasa o pagamento para as empresas de transporte universitário e alunos não vão para as cidades onde estudam.

Estudantes universitários não foram para as cidades onde estudam, na noite de ontem. O motivo, segundo os representantes das empresas de transporte, é que a Prefeitura Municipal não está repassando o dinheiro para as mesmas, desde agosto deste ano. Portanto, contando com o mês de outubro, já são 3 meses de atraso. Os alunos foram buscados nos pontos de espera, pela cidade de Sacramento, mas dentro dos veículos foram informados que não iriam viajar para o destino fora da cidade, pelo motivo exposto acima.

A informação foi confirmada por dois representantes de duas empresas que levam os alunos para as cidades onde estudam. Wellington Leonardo, representante da RaquelTur e Tiago Borges de Oliveira da HelioTur, explicaram a situação. Wellington disse que a Prefeitura não paga desde agosto, mas que a parte do pagamento dos alunos está em dia. "A gente não tá dando conta nem de abastecer mais, ou eles (PMS) devolvem o dinheiro ou os estudantes pagam o valor integral. A gente espera que tudo se resolva, porque os maiores prejudicados são eles (estudantes)." - disse Wellington preocupado com a situação da empresa. Tiago também disse que a Prefeitura não paga desde agosto. "Foi apertando, sempre teve um atraso por parte da Prefeitura e quando fomos saber, descobrimos que houve o corte do repasse" disse Tiago ao Tatu na Rede.

O Presidente da Associação dos Estudantes de Sacramento, Túlio Costa, também confirmou a situação: "Cortou o repasse. Agosto e setembro as empresas de ônibus não receberam". Túlio explica que os meses atrasados de agosto e setembro, a Prefeitura irá pagar. Segundo Túlio a informação foi passada pelo Superintendente de Gestão do Governo Baguá, Cléber Silveira Borges. Já quanto aos meses de outubro, novembro e dezembro, segundo Túlio, a Prefeitura só irá pagar se tiver o dinheiro, portanto os estudantes terão de arcar com o valor integral. Túlio completa dizendo que se os estudantes pagarem hoje o valor integral, referente ao mês de outubro, os ônibus voltam a levar os alunos para as cidades onde estudam normalmente. Ainda conforme informações do Presidente Túlio, cada aluno, dependendo da cidade onde estuda, terá de desembolsar algo em torno de R$125,00 a mais do que já é pago. Para se ter uma ideia, um aluno da Universidade de Uberaba paga atualmente R$125,00 por mês, assim sendo, teria que pagar o dobro.

Um dos estudantes, Henrique José Bizinoto Santos, tomou frente da manifestação. Henrique criou um grupo, na rede social Facebook intitulado "AA", para os estudantes se comunicarem e se organizarem. Henrique subiu num banco na Praça da Matriz e convocou os estudantes para fazerem uma manifestação pacífica hoje, às 14h, na sede da Prefeitura Municipal de Sacramento. "Se nós abaixarmos a cabeça e ficarmos esperando, não vai virar nada. Vamos amanhã (quinta-feira), às 14h, na porta da Prefeitura e cobrarmos uma solução, de forma pacífica para mostrarmos nossa preocupação com esta situação."

Maria Clara Lima Santana, estuda na UFTM em Uberaba. Maria falou do prejuízo por não ir para a universidade hoje: "Hoje eu perdi uma prova de 30 pontos que eu estudei a semana inteira. Eu só posso ter 25% de falta e só temos uma aula por semana. Já ficamos quatro meses em greve e ainda quando volta a aula não posso estudar porque não tem ônibus". - disse Maria em tom claro de preocupação.

Outra estudante também falou sobre a preocupação por não poder ir à cidade onde estuda. Ana Carolina de Almeida faz curso técnico de zootecnia na EFOP: "Todo mundo entrou no ônibus e o motorista me informou que não iríamos para Uberaba hoje. Eu tinha duas provas, tinha prova de nutrição e de ética. É difícil, porque muita gente dá um jeito de ir, mas eu não consegui. O pessoal da minha sala irá fazer a prova e eu não vou poder fazer. Amanhã tenho mais uma prova e depois de amanhã mais duas."

O Tatu na Rede tentou fazer contato na Prefeitura Municipal, porém, até mesmo pelo horário (por volta de 18h20), o telefone não atendeu. Ouviremos algum representante da PMS hoje, durante a manifestação que ocorrerá às 14h na sede próxima ao PoliEsportivo Ginásio Marquezinho.